Perfil sociodemográfico e profissional dos novos Analistas Técnicos de Políticas Sociais (ATPS), do Ministério da Saúde, Governo Federal do Brasil, 2013.

Rackynelly Soares, Roney Vargas Barata, Gino Rocha

Resumo


O Projeto de Acolhimento dos novos Analistas Técnicos de Políticas Sociais (ATPS) objetivou instrumentalizar, de forma qualificada, o Ministério da Saúde com conhecimento sobre os seus novos analistas. Por um lado possibilita ao Ministério ter uma visão mais sistêmica dos seus servidores e, por outro facilita a alocação conciliando suas opções com os requisitos técnicos e da demanda das respectivas secretarias de destino. Após a análise dos dados secundários gerados durante o preenchimento da ficha cadastral do Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos, versão web, o perfil encontrado apresentou prevalência de mulheres brancas solteiras, com média de idade de 31 anos e provenientes do Distrito Federal. As áreas das Ciências da Saúde e das Ciências Biológicas são as de origem de formação e também as de atuação desses ATPS. Eles possuem domínio em softwares de edição de textos e de planilhas eletrônicas e tem conhecimento da língua inglesa. Suas secretarias de maior interesse para serem alocados foram as Secretarias de Atenção à Saúde e a de Gestão Estratégica e Participativa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v8i1.1449



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________