Óbitos infantis em um estado do Nordeste brasileiro: características e evitabilidade.

Jorge Otávio Maia Barreto, Inez Sampaio Nery

Resumo


Objetivo: analisar características e evitabilidade dos óbitos infantis do Piauí de 2006 a 2011. Métodos: A partir da vinculação dos dados oficiais sobre nascimentos e óbitos foram analisadas variáveis de escolaridade e raça/cor da mãe, peso ao nascer, número de consultas de pré-natal e evitabilidade do óbito infantil. Resultados: a amostra foi constituída por 2.584 óbitos infantis, com 7,7% de lacunas de informação nas variáveis selecionadas. A mortalidade infantil no Piauí foi predominante entre mães pardas, com menor escolaridade, menos consultas de pré-natal e entre crianças com peso ao nascer inferior a 2.500 gramas. Verificou-se que 72,4% dos óbitos eram evitáveis, especialmente pela adequada atenção à gestante, ao parto e neonato. Conclusão: persistiu elevado percentual de mortes infantis preveníveis no Piauí. O monitoramento conjunto dos dados sobre mortalidade e nascimento é relevante para a avaliação e planejamento para reduzir a mortalidade infantil evitável.

Palavras-chave


Política de Saúde, Mortalidade Infantil, Causas de Morte, Equidade em Saúde, Epidemiologia Descritiva

Texto completo:

PDF

Referências


United Nations. Millennium Development Goals [Internet]. New York: United Nations, 2009. [acesso em 27 dez 2014]. Disponível: http://www.un.org/millenniumgoals/

Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde. Relatório Final, Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

Malta DC, Duarte EC, Almeida MF, Dias MAS, Morais Neto OL, Moura L et al. Lista de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde do Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2007; 16(4):233-44.

Malta DC, Sardinha LMV, Moura L, Lansky S, Leal MC, Szwarcwald CL et al. Atualização da lista de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde do Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2010; 19(3):173-76.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual dos Comitês de prevenção do óbito infantil e fetal. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos- SINASC [Internet]. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 1994-2012 [acesso em 02 mar 2014]. Disponível: http://tabnet.datasus.gov.br

Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM [Internet]. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 1979-2012 [acesso em 02 mar 2014]. Disponível: http://tabnet.datasus.gov.br

Barbosa DRM, Almeida MG. Características clínico-epidemiológicas e distribuição espacial da mortalidade infantil no Nordeste do Brasil entre 2008 e 2011. G&S. 2014; 5(2):569-81.

Frias PG, Szwarcwald CL, Souza Junior PRB, Almeida WS, Lira PIC. Correção de informações vitais: estimação da mortalidade infantil, Brasil, 2000-2009. Rev Saúde Pública. 2013; 47(6):1048-58.

Brasil. Ministério da Saúde. Rede Interagencial de Informação para a Saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil-IDB [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 1990-2011 [acesso em 27 dez 2014]. Disponível: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2012/c01.htm

Lima IP, Mota ELA. Avaliação do impacto de uma intervenção para a melhoria da notificação da causa básica de óbitos no estado do Piauí, Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde. 2011; 20(3):297-305.

Szwarcwald CL. Strategies for improving the monitoring of vital events in Brazil. Int J Epidemiol. 2008; 7(4):738-44.

Santos SLD, Silva ARV, Campelo V, Rodrigues FT, Ribeiro JF. Utilização do método linkage na identificação dos fatores de risco associados à mortalidade infantil: revisão integrativa da literatura. Ciênc. saúde colet. 2014;19(7):2095-104.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censos Demográficos. Sinopse do Censo Demográfico de 2010 [Internet]. [acesso em 30 ago 2014]. Disponível: http://www.ibge.gov.br/estadosat/temas.php?sigla=pi&tema=sinopse_censodemog2010

Lansky S, Lima Friche AA, Silva AA, Campos D, Azevedo Bittencourt SD, Carvalho ML et al. Birth in Brazil survey: neonatal mortality, pregnancy and childbirth quality of care. Cad.Saúde Pública. 2014; 30(supl.1): S192-S207.

Barreto JOM, Nery IS, Mendes YMMB. Mortalidade Perinatal: uma análise com enfoque na evitabilidade. Cogitare Enferm. 2011; 16(1): 88-95.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v9i3.1782



Direitos autorais 2015 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________