Quando Cada Quadrado Fala Sobre Si: escritos sobre os núcleos de residência multiprofissional em saúde

Georgia Silva Romcy, Amanda Cavalcante Frota, Ana Paula Silveira de Morais Vasconcelos

Resumo


Este artigo tem por objetivo revisar a literatura científica brasileira que versa sobre os núcleos profissionais de Residência Multiprofissional em Saúde, a partir das bases de dados da SCIELO e da LILACS, tendo como referência as publicações dos últimos 11 anos. Ao final, foram selecionados 39 artigos, que, após a leitura de seus resumos, se enquadravam nos critérios de inclusão e exclusão escolhidos, que foram classificados em cinco eixos temáticos: Inserção e atuação do profissional de saúde-residente; Processo Formativo; Produções Científicas; Dimensão Política; e Processos de Adoecimento. Neste estudo, se considera a importância em se discutir às categorias profissionais envolvidas nos processos formativos da residência multiprofissional, no que concerne ao conteúdo destas publicações, compreendendo que precisamos discutir questões referentes à qualidade e quantidade de publicações, bem como sobre as perspectivas de campo e núcleo.

Texto completo:

PDF

Referências


Carvalho, YM, Ceccim RB. Formação e educação em saúde: aprendizados com a Saúde Coletiva. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond M Jr, Carvalho YM, organizadores. Tratado de saúde coletiva. 1ª ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2006. p. 137-170.

Feuerwerker LCM, Capozzolo AA Mudanças na formação dos profissionais de saúde: algumas referências de partida do eixo Trabalho em Saúde. In: Capozzolo AA, Casetto SJ, Henz, AO. Clínica comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec; 2013. p.35-58.

Paiva CHA, Teixeira LA. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. 2014; 21(1):15-35.

Gonzé GG. A integralidade na formação dos profissionais de saúde: tecendo saberes e práticas [dissertação]. Juiz de Fora: Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Juiz de Fora; 2009.

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília; 1990.

Oliveira CF, Guareschi NMF. Formação de profissionais para o SUS: há brechas para novas formas de conhecimento? In: Fajardo AP, Rocha CMF, Pasini, VL. Residências em saúde: fazeres & saberes na formação em saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição; 2010. p.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: pólos de educação permanente em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Ministério da Saúde (BR). Portaria GM/MS nº198, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Ministério da Saúde (BR). Portaria GM/MS nº1.996, de 13 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

Ministério da Educação (BR); Ministério da Saúde (BR). Portaria Interministerial nº 1.127, de 04 de agosto de 2015. Institui as diretrizes para a celebração dos Contratos Organizativos de Ação Pública Ensino-Saúde (COAPES), para o fortalecimento da integração entre ensino, serviços e comunidade no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2015.

Miccas FL, Batista SHSS. Educação Permanente em Saúde: metassíntese. Revista de Saúde Pública. 2014; 48(1):170-185.

Ceccim RB, Feuerwerker, L. O Quadrilátero da Formação para a Área da Saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis - Rev. Saúde Colet. 2004; 14(1): 41-65.

Brasil. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Brasília; 2005.

Dallegrave, D. Encontros de aprendizagem e governamentalidade no trabalho em saúde: as residências no País das Maravilhas [Tese]. Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2013.

Passos E, Carvalho YM A formação para o SUS abrindo caminhos para a produção do comum. Saúde Soc. 2015; 24(supl.1): 92-101.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer?. Einstein. 2010; 8(1): 102-106.

Bardin L. A análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1991.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, 2012.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana. Brasília, 2016.

Campos GWS. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciênc. saúde coletiva. 2000; 5(2):219-230.

Clemente A, Matos DM, Grejanin DKM, Santos HE, Quevedo MP, Massa PA. Residência multiprofissional em saúde da família e a formação de psicólogos para atuação na atenção básica. Saúde Soc. 2008;17(1):176-184.

Soares NM, Pinto MEB. interfaces da psicologia aplicada à saúde: atuação da psicologia na estratégia saúde da família em Londrina. Rev. SBHP. 2008;11(2):89-100.

Landim AS, Batista NA, Silva GTR. Vivência clínica hospitalar: significados para enfermeiros residentes em saúde da família. Rev. Bras. Enferm. 2010;63(6): 913-920.

Meira MA, Silva MO. Atuação da psicologia na estratégia saúde da família: a experiência de um psicólogo em uma residência multiprofissional. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2011;15(3):369-376.

Santos ER, Lanza LMB, Carvalho BG. Educação permanente em saúde: a experiência do serviço social com Equipes Saúde da Família. Textos & Contextos. 2011;10(1): 16-25.

Correia RB, Coelho JMS. Ações em saúde auditiva escolar no município de Sobral-CE: percepção de fonoaudiólogos. Rev. Bras. Promoç. Saúde. 2012;25(2):228-234.

Landim AS, Silva GTR, Batista NA. Residência multiprofissional em saúde da família: vivência hospitalar dos enfermeiros. Revista Baiana de Enfermagem. 2012;26(1):375-386.

Langoni CS, Valmorbida LA, Resende TL. A introdução de atendimentos por fisioterapeutas em unidades da atenção primária em saúde. Rev. Bras. Promoç. Saúde. 2012;25(3):261-270.

Gomes JA, Brito CMD. Apoio matricial e terapia ocupacional: uma experiência de abordagem na saúde da criança. Rev. Ter. Ocup. USP. 2013;24(1): 81-86.

Manho F, Soares LBT, Nicolau SM. Reflexões sobre a prática do residente terapeuta ocupacional na estratégia saúde da família no município de São Carlos. Rev. Ter. Ocup. USP. 2013;24(3): 233-241.

Cavalcanti-Valente SG, Alves-Frota MC. Inserção de enfermeiro residente em saúde coletiva no programa médico de família: relato de experiência. Rev. Enferm. Herediana. 2014;7(1): 50-54.

Paiva LFA, Souza, FR, Savioli KC, Vieira, JL. A terapia ocupacional na residência multiprofissional em saúde da família e comunidade. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2013;21(3):595-600.

Cezar PK, Rodrigues PM, Arpini DM. A psicologia na estratégia de saúde da família: vivências da residência multiprofissional. Psicologia: ciência e profissão. 2015;35(1):211-224.

Santos IG, Batista NA, Devincenzi MU. Residência multiprofissional em saúde da família: concepção de profissionais de saúde sobre a atuação do nutricionista. Interface (Botucatu). 2015;19(53):349-360.

Zanin LE, Albuquerque IMN, Melo DH. Fonoaudiologia e estratégia de saúde da família: implicação da dimensão estrutural na qualidade da atenção à saúde fonoaudiológica. Audiol. Commun. Res. 2015;20(3):255-261

Lima M, Santos L. Formação de psicólogos em residência multiprofissional: transdisciplinaridade, núcleo profissional e saúde mental. Psicologia: ciência e profissão. 2012;32(1):126-141.

Veroneze CB, Benfica TMS, Filgueiras MST, Leal SF, Rodrigues FD. Residência em psicologia hospitalar e da saúde do HU/UFJF: consolidando práticas no campo da saúde. Psicologia em Pesquisa. 2008;2(1):20-26.

Carbogim FC, Santos, KB, Alves, MS, Silva GA. Residência em enfermagem: a experiência de Juiz de Fora do ponto de vista dos residentes. Rev. APS. 2010;13(2): 245-249.

Morais JL, Castro ESA, Souza, AM. A inserção do psicólogo na residência multiprofissional em saúde: um relato de experiência em oncologia. Psicologia em Revista. 2012;18(3):389-401.

Drago LC, Salum RL, Andrade SR, Medeiros M, Marinho, MM. A Inserção do Residente em Enfermagem em uma Unidade de Internação Cirúrgica: práticas e desafios. Cogitare Enferm. 2013;18(1): 95-101.

Toro GVR, Nucci NAG, Toledo TB, Oliveira AEG, Prebianchi HB. O Desejo de Partir: um estudo a respeito da tentativa de suicídio. Psicologia em Revista. 2013;19(3): 407-421.

Reis TR, Zamberlan C, Quadros JS, Grasel JT, Moro ASS. Enfermagem Obstétrica: contribuições às metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Rev. Gaúcha Enferm. 2015;36(esp):94-101.

Corrêa LQ, Valerio MP, Teixeira AO, Guerreiro LF, Silveira DF, Machado PT et al. A atuação da educação física nas residências multiprofissionais em saúde. Rev. Bras. Promoç. Saúde. 2014;27(3):428-433.

Lima SV, Haddad MCL, Sardinha, D.S.S. Planejamento estratégico elaborado juntamente com a equipe de enfermagem de um hospital de médio porte. Cienc. Cuid. Saúde. 2008;7(suplem.1): 138-144.

Funk CS, Rodrigues RP, Fernandez RR, Faustino-Silva DD, Malacarne E. Residência integrada em saúde do grupo hospitalar conceição: proposta de formação de cirurgiões-dentistas em saúde da família e comunidade. Rev. Fac. Odontol. 2010;51(3): 37-42.

Castro MMC, Oliveira LML, Souza AIS. Trabalho em saúde e formação em serviço: contribuições do serviço social para o trabalho coletivo. Rev. APS. 2011. 2011;14(4): 497-501.

Silva LB, Martins GCS, Peres MAA, Almeida Filho AJ. Expansão dos cursos de especialização em enfermagem – modalidade residência no hospital Ophir Loyola – Pará (1998-2004). Online Brazilian Journal of Nursing [periódicos na internet] 2012 [acesso em 20 de junho de 2016];11(1) Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3668/html_2

Pereira ALF, Nicácio MC. Formação e inserção profissional das egressas do curso de residência em enfermagem obstétrica. Rev. Enferm. UERJ. 2014;22(1):50-56.

Lima GPV, Pereira ALF, Guida NFB, Progianti JM, Araújo CLF, Moura MAV. Expectativas, motivações e percepções das enfermeiras sobre a especialização em enfermagem obstétrica na modalidade residência. Escola Anna Nery. 2015;19(4): 593-599.

Magnabosco G, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Rossaneis MA, Silva LGC. Opinião de egressos sobre o curso de residência em gerência dos serviços de enfermagem. Semina: Ciência Biológicas e da Saúde. 2015;36(1);73-80.

Landim AS, Silva GTR, Batista NA. A vivência clínica na formação do enfermeiro. Rev. Bras. Enferm. 2011;64(3): 558-562.

Schmaller VP, Lemos J, Silva MG, Lima MLLT. Trabalho em saúde, formação profissional e inserção do serviço social na residência multiprofissional em saúde da família. Textos & Contextos. 2012;11(2):346-361.

Castro MMC. Formação em saúde e serviço social: as residências em questão. Textos & Contextos. 2013;12(2):349-360.

Zanoni CS, Haddad MCL, Vannuchi MTO, Silva LGC, Dellaroza MSG, Rossaneis MA. Produção científica da residência em gerência dos serviços de enfermagem de 2006 a 2011. Semina: Ciência Biológicas e da Saúde. 2015;36(1):63-72.

Zanin LE, Albuquerque IMN, Melo DH. Fonoaudiologia e estratégia de saúde da família: o estado da arte. Rev. CEFAC. 2015;17(5):1674-1688.

Silva LB, Peres MAA, Martins GCS, Almeida-Filho AJ. A Mobilização dos enfermeiros pela não interrupção da residência em enfermagem. Rev. Bras. Enferm. 2015;98(5):923-929.

Tavares KFA, Souza NVDO, Silva LD, Kestenberg CCF. Ocorrência da síndrome de burnout em enfermeiros residentes. Acta Paul. Enferm. 2014;27(3):260-265.

Franco GP, Barros ALBL, Nogueira-Martins LA, Zeitoun SS. Burnout em residentes de enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. 2011;45(1):12-18.

Oliveira EB, Souza NVM, Chagas SCS, Lima LSV, Correa RA. Esforço e Recompensa no Trabalho do Enfermeiro Residente em Unidades Especializadas. Rev. Enferm. UERJ. 2013;21(2):173-178.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v10i4.2035



Direitos autorais 2018 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________