A violência no contexto de crianças em uma escola pública: relato de experiência de uma oficina.

Nadyelle Carvalho Pinheiro, Ronaldo Rodrigues Pires, Ingrid Bezerra Costa Maia, Ana Carolina Souza Torres

Resumo


O objetivo deste trabalho é compreender, através de percepções e expressões das crianças, o modo como estes convivem e/ou reproduzem a violência em seu cotidiano. Para tanto, nos utilizamos do relato de experiência de uma oficina realizada com alunos do quarto ano de uma escola pública de X. A partir do exposto nas produções e nos relatos ao longo da oficina foi possível identificar vivências de violência urbana, presente através dos desenhos de armas de fogo e dos relatos das situações violentas no bairro onde moram. A violência escolar manifestada por atos de agressão entre alunos também foi percebida através dos desenhos. A partir disso se conclui sobre o fato da violência permear as relações entre as crianças, tanto no contexto comunitário como institucional. Dessa forma, vimos a necessidade da criação de estratégias de enfrentamento à violência, como promoção de saúde no contexto escolar e comunitário.

Palavras-chave


Violência; Escola; Promoção de Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Escola de Saúde Pública do Ceará. Projeto Político Pedagógico do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. 2012; 1-44.

Pereira MPB; Barcellos C. O território no programa de saúde da família. Hygeia. 2006;2(2):47-55.

Souza ER, Jorge MHPM. Impacto da violência na infância e adolescência brasileiras: magnitude da morbimortalidade. In: Lima CA, et al. Violência faz mal a saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. p. 23-28.

Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica , 2009; 24: 96.

Krug EG, Dahlberg LL. Violência- um problema global de saúde pública. In: Krug EG, Dahlberg LL, Mercy JA, Zwi AB, Lozano R. Relatório Mundial sobre Saúde e Violência. Genebra: Organização Mundial da Saúde;2002. p. 1-19.

Dimenstein M, Vilhena J.Da vida dos jovens das favelas cariocas. Drogas, violência e confinamento. Rev. Do Departamento de Psicologia da UFF. 2005; (1);1-18.

Porto MSG. A violência, entre práticas e representações sociai: uma trajetória da pesquisa. Ver. Sociedade e Estado. 2015; 30(1); p. 19-37.

Ristum M. Violência na escola, da escola e contra a escola. In: Assis SG, Constantino P, Avanci JQ, organizadoras. Impactos da violência na escola: um diálogo com professores. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2010. p. 65-93.

Holiday, OJ. Para Sistematizar experiências.João Pessoa: Universitária; 2006.

Candau V M. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Rev. Currículo sem Fronteiras. 2011; 11(2); p. 240-255.

Malta DC. Vivência de violência entre escolares brasileiros: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ciênc. Saúde Coletiva. 2010;15:3053-63.

Ristum M, Bastos ACS. Violência urbana: uma análise dos conceitos de professores do ensino fundamental. Ciênc Saúde Coletiva. 2004; 9:225-39

Vieira LJES, Abreu CAP, Valdês MTM, Oliveira EM, Ferreira RC, Catrib AMF. Violência na escola pública: relatos de professores. Rev brasileira de promoção a saúde. 2010; 23:34-42.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v10i4.2296



Direitos autorais 2018 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________