Psychosocial attention care to the ESF Santa Marcelina collaborator SAPIS: a proposal humanizing primary attention.

Monique Marie Bourget et al

Resumo


A evolução da assistência à saúde no modelo hegemônico centrado no hospital levou a movimentos de reação culminando, no Brasil, com a implantação do SUS como política nacional de saúde para a reestruturação da assistência, induzindo novas propostas de produção do conhecimento, de organização dos serviços ou do desenvolvimento da assistência, pressupondo sua humanização. Surgem novas conceituações teóricas que apóiam estudos de humanização, porém focados no âmbito hospitalar, no cuidado ao paciente e na melhora das condições de trabalho dos profissionais da saúde, inseridos em um ambiente propício a agravos de ordem psicoocupacional. Na atenção básica, as abordagens sobre a questão da humanização são dirigidas à assistência neste nível de atenção, com pouca ênfase na saúde dos profissionais atuantes. Relata-se a experiência de implantação de um serviço de apoio psicossocial aos trabalhadores da Estratégia Saúde da Família, suas ações iniciais e proposições para seu avanço, no intuito de compartilhar experiências e contribuir para o desenvolvimento da humanização integral na Atenção Primária em Saúde, incluindo seus agentes.

Palavras-chave


Humanização; Saúde do Trabalhador; Equipe de Saúde da Família; Programa Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde; Sistema Único de Saúde



DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v1i1.388



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________