Digital inclusion of community health agents in brazil: new forms of learning in networks.

Ana Valéria Machado Mendonça, Maria Fátima de Sousa, Ronaldo Nunes Linhares, Júlio Cesar Cabral, Pablo Boaventura Sales Paixao

Resumo


Este artigo apresenta as idéias centrais que orientam o projeto de Inclusão Digital dos Agentes Comunitários de Saúde - ACS em desenvolvimento no Distrito Federal e no Estado de Sergipe, Brasil. Idéias que circunscrevem os valores da educação aproximativa entre os sujeitos. Educação promotora da saúde. Esta requer dos profissionais, novos conhecimentos, habilidades e atitudes que ampliem a capacidade de cada indivíduo, família e comunidade, em ter autonomia no cuidar da saúde. O ato aproximativo se vale das tecnologias inclusivas, as quais são mediadoras dos processos educativos que ocorrem em cada território de atuação dos ACS, ampliando as possibilidades de fortalecimento das trocas de saberes e fazeres entre estes
sujeitos. Saberes reconstruídos com base nas leituras das realidades, estas fundamentando as práticas educativas dos ACS. Práticas entrelaçadas por redes sociais, onde a democratização das informações e a solidariedade no agir comunicativo alimentam a utopia desses sujeitos em
se aproximarem, cada vez mais, para promover a Saúde das Famílias.

Palavras-chave


Agentes Comunitários de Saúde; Inclusão Digital; Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M.E.B. de. (Org). Formação de Educadores a distância e integração de mídias. São Paulo: Avercamp, 2007.

BONNAL, P. Desenvolvimento territorial sustentável. Publicado em Carta Maior, Sexta-Feira, 12 de outubro de 2007.

Brasil. Constituição. Constituição da República Federativa do Brasil. Senado Federal. Brasília, 1988.

BRASIL. Lei n. 8.080 de 19 de Setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços

correspondentes e dá outras providências. Lex: Diário Oficial da União, Brasília, DF 24 set. 1990.

BRASIL. Portaria No 154 de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. Lex: Diário Oficial da União, Brasília, DF 25 jan. 2008.

BRASIL. Portaria n. 648 de 28 de março de 2006. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da

Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa ACS (PACS). Lex: Diário Oficial da União 29 de mar de 2006.

DAL POZ, M.R. Os Agentes Comunitários de Saúde: algumas reflexões. Interface- Comunicação e Saúde, Educação, v.6, n. 10. 75-94, fev.2002.

GUERREIRO, E.P. A Cidade Digital: infoinclusão social e tecnologia em rede. São Paulo: Editora SENAC, 2006.

LIPOVETSKY, G. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LUNARDELO, S.R. O Trabalho do Agente Comunitário de Saúde nos núcleos de Saúde da Família em Ribeirão Preto – São Paulo. Dissertação. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – USP, 2004.

MENDONÇA, A.V.M. Informação e Comunicação para Inclusão Digital. Brasília: Editora do Departamento de Ciência da Informação e Documentação da Universidade de Brasília,

NOGUEIRA, R. P. et al. A vinculação institucional de um trabalhador sui generis – O Agente Comunitário de Saúde. Brasília: Ministério do Planejamento/Instituto de Pesquisa

Econômica Aplicada. 2000.

SANTOS, M.R. Perfil dos Agentes Comunitários de Saúde da Região de Juiz de Fora- MG. Tese de Doutorado-Universidade do Estado de Rio de Janeiro. 2006.

Tempus - Actas de Saúde Coletiva, vol. 3, n.1, p. 28-37, jan./mar. 2009.

SANTOS, Edméa Oliveira dos. “Ambientes virtuais de aprendizagem”: problematizando práticas curriculares. In: LYNN, Alves; NOVA, Cristiane (Org). Educação e tecnologia:

trilhando caminhos. Salvador: Editora da UNEB, 2003.

SILVA, J.A. da e DALAMASO, A.S.W. Agentes Comunitários de Saúde: o ser, o saber, o fazer. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2002.

SILVA, M. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro: Ed. Quartet, 2006.

SODRÉ, Muniz. Objeto da comunicação é a vinculação social. Entrevista de Muniz Sodré de Araújo Cabral (UFRJ) a Desirée Rabelo (UMESP). PCLA, v. 3, n.1, out./nov./dez. 2001.

SOUSA, M.F. de. Programa de Saúde da Família no Brasil - Análise da desigualdade no acesso à Atenção Básica. Brasília: Editora do Departamento de Ciências da Informação e

Documentação da Universidade de Brasília, 2007.

__________. Agentes Comunitarios de Saúde: choque de povo. São Paulo: Hucitec, 2001.

TENDLER, J. Bom Governo nos trópicos: uma visão crítica. Rio de Janeiro: Revan, Brasília-DF: ENAP, 1998.

TRAPÉ, C. A. A prática Educativa dos Agentes Comunitários do PSF à luz da categoria




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v3i1.707



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________