Tempus – Actas de Saúde Coletiva //tempusactas.unb.br/index.php/tempus <p><strong>Tempus – Actas de Saúde Coletiva</strong></p> <p><strong>ISSN 1982-8829</strong></p> pt-BR <p>A <strong>Tempus</strong> garante critérios rigorosos, por meio de avaliação sistemática. Os autores se responsabilizam pela veracidade e ineditismo do trabalho cabendo a eles a cessão de direitos de publicação à revista. A confiabilidade dos conteúdos e a marca própria de apresentação tem como objetivo uma comunicação personalizada, adaptada aos padrões da revista, na medida em que adota critérios de excelência exigidos por seus usuários e especialistas, considerando os rigores da comunicação científica. Os autores devem especificar sua contribuição individual na concepção, delineamento, execução do trabalho, análise ou interpretação dos dados, redação e aprovação final do manuscrito. Incluir Fontes de financiamento e de apoio logístico das pesquisas. Ao final da submissão do artigo, os autores devem enviar uma declaração de cessão de direitos de publicação à Revista TEMPUS , assinada e no formato PDF (Portable Document Format ): <a href="http://nesp.unb.br/images/M_images/modeloderesponsabilidade.pdf" target="_blank" rel="noopener"> Modelo da declaração de cessão de direitos.</a></p> valeriamendonca@gmail.com (Profa. Dra. Ana Valéria Machado Mendonça (Editora Executiva)) jcesar@unb.br (Prof. Me. Júlio César Cabral) Seg, 31 Mai 2021 14:09:57 +0000 OJS 3.2.1.0 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 CARACTERIZAÇÃO DAS NOTIFICAÇÕES DE VIOLÊNCIAS AUTOPROVOCADAS POR INTOXICAÇÕES EXÓGENAS //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2974 <p>Objetivo: Este artigo objetivou caracterizar as violências autoinfligidas por intoxicações exógenas notificadas no município de Crateús-CE, no período de 2013 a 2017.Método: Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, realizado durante os meses de agosto à setembro de 2018, mediante a análise das fichas de notificação das violências autoprovocadas por intoxicações exógenas atendidas no hospital de Crateús-CE,registradas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN).Resultados: Foram registradas um total de 61 tentativas de suicídio por intoxicações exógenas. As tentativas foram mais frequentes entre o gênero feminino (85,3%) e na faixa etária de adolescentes (35,5%), quanto aos agentes tóxicos de maior frequência, destacaram-se os medicamentos (75,3%). Observou-se que 48 (78,6%) casos evoluíram sem sequelas, mesmo após a utilização de agentes intoxicantes, dessa forma a maioria dos pacientes apresentou uma evolução clínica satisfatória. Conclusão: Os resultados fornecem subsídios para a definição de estratégias de prevenção considerando os grupos vulneráveis e a complexidade dos fatores associados à violência autoprovocada por intoxicação exógena.</p> Samíla Sâmala Alves Costa, Francisco Alysson da Silva Veríssimo, Francisco Wellington Dourado Júnior, Amanda Luiza Marinho Feitosa Copyright (c) //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2974 Editorial //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2973 Elmira Simeão Copyright (c) 2021 Tempus – Actas de Saúde Coletiva //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2973 Seg, 13 Set 2021 00:00:00 +0000 EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE E A FORMAÇÃO DISCENTE EM TEMPOS DE PANDEMIA: RELATO DE EXPERIÊNCIAS //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2972 <p>O estudo tem por objetivo relatar as possibilidades de ações de educação permanente em saúde (EPS) e a formação discente durante a pandemia por Covid-19, a partir da experiência de bolsistas vinculados ao Programa de Educação Tutorial Práticas Integradas em Saúde Coletiva (PET PISC) da Universidade Federal do Pampa. Trata-se de um estudo descritivo, tipo relato de experiência. As experiências relatadas ocorreram no período de maio a dezembro de 2020. Neste período, o PET PISC desenvolveu o ciclo de palestras denominada “Informação em Saúde” e o projeto intitulado “Leitura e debate dos Cadernos de Atenção Básica”, explanando sobre diferentes temas envolvendo a saúde coletiva. Resultados evidenciam que o processo de desenvolvimento do pensamento crítico dos acadêmicos, quanto mais cedo for aperfeiçoado, mais irá agregar a formação profissional dos mesmos, auxiliando-os a compreender a importância de uma formação interdisciplinar para o processo de formação discente. Assim, ratifica-se a necessidade de ações de EPS entre os discentes e profissionais da área da saúde. Evidencia a necessidade de atividades extraclasse para a formação discente durante a pandemia.</p> Bárbara Garcia Figueredo, Rodrigo de Souza Balk, Joana dos Santos da Silva Corbette, Marilia Pacheco Rodrigues, Rafaella Martini Paiva, Tatiane Motta da Costa e Silva Copyright (c) //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2972 A CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE: NARRATIVA DE UM SUJEITO EM AÇÃO. //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2971 <p>Este artigo é parte da tese de doutoramento, cursado no Programa de Ciências da Saúde da Faculdade de Ciências da Saúde, da Universidade de Brasília, que tem por objetivo narrar, pelo próprio sujeito em ação, o processo de construção do Sistema Único de Saúde. Busca sistematizar aprendizados e acumulações amealhados ao longo de uma jornada de militância em torno do projeto da Reforma Sanitária brasileira e SUS, ao longo das últimas décadas. As narrativas passam desde os tempos de estudante, com destaque para as Semanas de Estudos sobre Saúde Comunitária; de jovem profissional da saúde coletiva e dirigente local e regional de saúde em Montes Claros, no sertão de Minas Gerais; de dirigente de secretarias nos ministérios da Previdência e Assistência Social e da Saúde, durante o primeiro governo da Nova República; de gestor estadual na primeira fase de implantação da descentralização estadual e municipal do SUS, na Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais; de parlamentar, na Câmara Federal; de titular no Ministério da Saúde e, novamente até o presente, de deputado federal. As narrativas seguem na sistematização e elaboração de uma versão crítica dessa história.</p> José Saraiva Felipe Copyright (c) //tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/2971