O Trabalho em Saúde e a Política de Humanização do Sistema Único de Saúde (SUS): o ponto de vista da atividade industriosa na análise do trabalho

Ana Rita Castro Trajano, Daisy Moreira Moreira Cunha

Resumo


Objetivou-se discutir a perspectiva ergológica do trabalho em articulação com a Política Nacional de Humanização (PNH) como
referencial de análise do processo de trabalho em saúde. Partiu-se de abordagens do processo de trabalho no campo da Saúde Coletiva, em que se toma a PNH como parte deste, procurandose estabelecer interlocuções com a ergologia como postura ético-epistemológica, tanto em práticas de pesquisa como em processos de gestão do trabalho. Em seguida, discutiu-se a emergência da PNH, como política pública do SUS, criada pelo Ministério da Saúde em 2003, quando foi discutido o sentido de humanização como ‘conceito-experiência’.
Como parte essencial deste artigo, procurouse abordar noções e conceitos elaborados pela ergologia, no esforço de construir referenciais de análise da atividade industriosa em saúde, contribuindo para as discussões atuais sobre a PNH, como ‘política pública e a produção do comum’.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v6i4.1207



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________