“Bacharelado em Saúde Coletiva: Preenchendo Lacunas e Formando Competências para o SUS”

Paulo Roberto Santana Santana, René Duarte Martins Martins, Flávio Renato Barros Guarda, Simara Lopes Cruz Cruz, Sandra Cristina Silva Santana

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir questões relativas à identidade profissional, mercado de trabalho, campo de estágio e regulamentação da profissão de sanitarista com base na experiência da implantação do curso de Bacharelado em Saúde Coletiva na Universidade Federal de Pernambuco. As informações descrevem o perfil dos ingressantes da primeira turma de graduação no estado e a análise que emerge das falas no discurso do sujeito coletivo aponta que estes identificam o sanitarista como um profissional crítico e protagonista de importantes mudanças na saúde do Brasil, demonstram conhecimento e otimismo em relação ao mercado de trabalho e os campos de estágio, manifestando maior interesse pela atuação no setor público, sem deixar de apontar outras possibilidades de intervenção para os futuros egressos. No que se refere à regulamentação da profissão, cabe ressaltar seu papel de regulação econômica e social e a importância do Código de Ética dos Sanitaristas, que deverão buscar continuamente ampliar e garantir o direito a ações e serviços de saúde de qualidade para a população. Concluímos que o Bacharelado em Saúde Coletiva é por natureza um curso voltado para rever práticas, construir novos cenários e acima de tudo, contribuir para a construção de um SUS humano, solidário e fraterno.

Palavras-chave


Recursos Humanos em Saúde; Sistema Único de Saúde; Profissional da Saúde; Educação em Saúde; Identidade profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


IBGE. Dados Básicos de Pernambuco – Município de Vitória de Santo Antão. [Portal]. Disponível em: . Acesso em: 02 de Julho de 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. DATASUS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2013.

BRASIL. Vitória de Santo Antão (PE). Centro Acadêmico de Vitória. 2. Relatório Institucional 2006. Disponível em:

relatorio_cav_2006.pdf>. Acesso em: 02 jul.2013.

Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação. (Bacharelado em Saúde Coletiva). Vitória de Santo Antão: Universidade Federal de Pernambuco; 2012.

Lefèvre F, Lefèvre AM, Teixeira JJ. O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: Ed. UCS; 2000.

Mocellim A. A questão da identidade em Giddens e Bauman. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC. Santa Catarina: UFSC, 2008; p. 1-31.

Hall S. A Identidade Cultural na Pós- Modernidade. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A; 1998.

Medronho R. Importância dos cursos de saúde coletiva para o SUS. In: Anais da Conferência por ocasião da aula inaugural do curso de saúde coletiva. Vitória de Santo Antão, PE: UFPE-CAV, maio; 2013.

Machado MH, Oliveira E. Mercado de trabalho em saúde: em que trabalham e quem emprega estes trabalhadores? In: Machado MH. Organizador. Trabalhadores de saúde em números. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 2006; 02: 59-93.

IBGE. Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. de 2013.

Conselho Nacional dos Secretários de Saúde. Estruturação da área de Recursos Humanos nas Secretarias de Saúde dos Estados e do Distrito Federal. Brasília: CONASS; 2004 (CONASS. Documenta. n.1)

Machado MH, Oliveira E. Mercado de trabalho em saúde: em que trabalham e quem emprega estes trabalhadores? In: Machado, MH. Organizador. Trabalhadores de saúde em números. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2006; 02:59-93.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Indicadores de gestão do trabalho em saúde: material de apoio para o Programa de Qualificação e Estruturação da Gestão do Trabalho e da Educação no SUS – ProgeSUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2007. 290 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da

Educação na Saúde. Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Agenda positiva do Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2005.

Cordeiro H. Descentralização, universalidade e equidade nas reformas da

saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 2001; 6(2): 319-328..

Shimizu HE, Carvalho Junior DA de. O processo de trabalho na Estratégia Saúde da Família e suas repercussões no processo saúde-doença. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 9, Set. 2012 . Disponível em: < http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012000900021&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 04 abr. 2013.

Bourdieu P. A economia das trocas simbólicas. Tradução de Sergio Miceli et al. São Paulo: Perspectiva; 2003.

Lima MS. Reflexões sobre o estágio/prática de ensino na formação de

professores. Revista Diálogo Educional, Curitiba, jan./abr. 2008; 8(23):195-205.

Teixeira CF, (Abrasco), Nunes TC. Trabalho e Educação na saúde. In: Anais do 10. Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. [S. l.]; 2009.

Campos FE, Albuquerque E. As especificidades contemporâneas do trabalho

no setor saúde: notas introdutórias para uma discussão. Revista Economia Contemporânea. Rio de Janeiro, 1999; 3(2):97-123.

Mioto RC. Processo de construção do espaço profissional do assistente social em contexto multiprofissional: um estudo sobre o serviço social na estratégia saúde da família. Projeto de Pesquisa: UFSC/CNPq. Florianópolis; 2004a.

Carvalho AI. Conselhos de Saúde, Responsabilidade Pública e Cidadania: a Reforma Sanitária como Reforma do Estado. In: Fleury, S. Organizador. Saúde e Democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos; 1997. p. 93-111.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v7i3.1392



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________