Pensamento crítico e as populações do campo, da floresta, das águas e... das cidades

Virgínia Fontes Fontes, Ary Carvalho Miranda

Resumo


Perfilamo-nos integralmente à necessidade da afirmação, da permanente construção e da urgente socialização de uma ciência crítica e emancipadora, intuito tanto mais desafiante quanto mais se expande o capitalismo na atualidade. Esta expansão é o ponto de partida deste brevíssimo ensaio. Durante as últimas décadas, um termo se tornou corriqueiro: crise, muitas vezes adjetivado como “crise do capital”. É certo que extensas faixas populacionais vivem situações de crises as mais diversas: alimentar, de saúde, de habitação, de empregos, ambiental, etc.; é certo também que importante crise “econômica” abateu-se em 2008 sobre enormes grupos capitalistas. Porém, enquanto milhares perdiam suas casas nos Estados Unidos ou na Espanha, as grandes empresas desses países escaparam por jorros de recursos provenientes do aprofundamento de gigantescas dívidas públicas, recursos distribuídos a empresas e empresários “grandes demais para quebrar..

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v8i2.1527



Direitos autorais

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________