Decifrando redes de proteção em um território: relato de experiência no programa Pro-Saúde.

Leides Barroso Azevedo Moura, Isabella Talles Kahn Stephan, Natacha Oliveira Hoepfner, Juliana Gomes Ibiapina Calado

Resumo


Trata-se de um relato de experiência pertinente à identificação das redes de proteção de um território, como parte das atividades do Programa de Reorientaçãoda Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde), com desenvolvimento de atividades interdisciplinares relacionadas ao processo ensino-aprendizagem, pesquisa, extensão e integração com um Núcleo de Atenção à Saúde de Pessoas em Situação de Violências no Distrito Federal.. O projeto visava favorecer a produção e promoção de saúde e de ações de prevenção de violências, bem como, auxiliar o fluxo de informação entre os serviços de saúde, educação, cultura, segurança e desenvolvimento do território de abrangência da Região do Paranoá e Itapoã, situado na Área Metropolitana de Brasília, Distrito Federal.Após reuniões e visitas de identificação dos serviços e recursos das organizações governamentais e não governamentais e às estruturas de oportunidades de duas comunidades, o projeto produziu uma cartografia dosrecursos disponíveis no e para o território à partir da sistematização e disponibilização de informações para profissionais de saúde, educação e segurança pública, bem como ativistas sociais e ativadores de mudanças. Concluiu-se que a pesquisa possibilitou oferecer ao públicoferramenta de busca,mobilização de direitos da cidadania e promoção de saúde na multidimensionalidade da vida humana. O mapeamento reforçou os princípios de integralidade, intersetorialidade e regionalização da saúde e favoreceu a articulação com políticas públicas para além do setor saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


A reorientação do ensino e da prática em enfermagem: implantação do Pró-Saúde em Mossoró, Brasil.Revista Gaúcha de Enfermagem (Online) 2010. 31(3):442-449,. Disponível em: .Acesso em: 20 Mai. 2015

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: MS;

De Marco, M A. Do modelo biomédico ao modelo biopsicossocial: um projeto de educação permanente. RevBrasEducMed2006, 30(1): 60-72,.

World Health Organization. Review of social determinants and the health divide in the WHO European Region: final report. Copenhagen: WHO European Region, 2013.

Santos, M. O lugar e o cotidiano. In: Sousa Santos B.; Meneses M.P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p.584-602

Schumann,LA, Moura LBA. Índices sintéticos de vulnerabilidade: uma revisão integrativa de literatura. Ciênc saúde coletiva 2015, 20(7): 2105-2120.

Chiavegatto F A D P, Wang YP, Malik A M, Takaoka J, Viana M C, Andrade L H. Determinantes do uso de serviços de saúde: análise multinível da Região Metropolitana de São Paulo. Rev. Saúde Pública ]. 2015; 49: 1-12. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102015000100301&lng=pt. Epub 27-Fev2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2015049005246.

Ferrp, L F et al. Interdisciplinaridade e intersetorialidade na estratégia de saúde da família e no núcleo de apoio à saúde da família: Potencialidades e desafios. Tempus Actas de Saúde Coletiva, 2015 8 (4): 111-129Disponível em: . Acesso em: 24 Mai. 2015.

Miechuanski. PC; Kleba. M E.Acadêmicos da Unochapecó na interação com sistema único de saúde e ESF através do Projeto Pró-Saúde. Revista Brasileira de Educação Médica 2012. 36 (1): 131-135

BRASIL. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde. Pro-Saúde: objetivos, implementação e desenvolvimento potencial. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

BRASIL. Rede de enfrentamento à Violência contra as mulheres. Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Secretaria de Políticas para as Mulheres – Presidência da República. Brasília, 2011.

Silva. SF. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde:desafios do Sistema Único de Saúde (Brasil). Ciência & Saúde Coletiva,2011; 16( 6 ): 2753-2762.

Mendes. EV. As redes de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva2010; 15 (5): 2297-2305. Disponível em: .

Moura LBA, Lefevre F, Moura V. Narrativas de violências praticadas por parceiros íntimos contra mulheres. Cien Saude Colet2012; 17 (4): 1025-1035.

Moura L B A, Gandolfi L, Vasconcelos A M N, Pratesi R. Intimate partner violence against women in an economically vulnerable urban area, Central-West Brazil. Rev. SaúdePública 2009; 43(6): 944-953




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v9i1.1697



Direitos autorais 2015 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________