Residência multiprofissional em saúde e o mundo do trabalho do fisioterapeuta.

Mariana Lisboa Costa, Roseli Ferreira da Silva, Valéria Vernaschi Lima, Márcia Niituma Ogata

Resumo


Este estudo analisou as experiências de fisioterapeutas egressos de um programa de residência multiprofissional em saúde da família e comunidade - RMSFC, visando verificar as repercussões desta Residência na prática profissional. Realizou-se um estudo de caráter qualitativo, por meio da técnica de História Oral (HO). As entrevistas foram transcritas, transcriadas e submetidas à análise utilizando o método da interpretação dos sentidos. Por meio da análise e articulação das temáticas encontradas, constatou-se que a residência teve um importante papel na formação profissional dos fisioterapeutas, principalmente na consolidação de princípios voltados à humanização e integralidade do cuidado em saúde. Indica ainda a necessidade de mais investimentos nesse tipo de formação, bem como em mudanças na graduação tomando como base o perfil profissional segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais.

Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Fisioterapia; Residência Multiprofissional em Saúde; Saúde da Família

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Haddad AE, Brenelli SL, Cury GC, Puccini RF, Martins MA, Ferreira JR et al. Pró-Saúde e PET-Saúde: a construção da política brasileira de reorientação da formação profissional em saúde. Rev. bras. educ. med. [online]. 2012;36(1):03-04.

Brasil. Ministério da Saúde. Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF: Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde, 2006.

Ufscar. Manual da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade 2012-2014/ Universidade Federal de São Carlos, Prefeitura Municipal de São Carlos. – São Carlos: RMSFC/UFSCar, 2012.

Toferri, MN. O perfil do egresso e as percepções na mudança da prática profissional: contribuições do curso de Especialização em Saúde da Família UNASUS/UNIFESP. [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo; 2015.

Sancha, CCM. A trajetória dos egressos do Programa de Aprimoramento Profissional: quem são e onde estão os enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos dos anos de 1997 e 2002. [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo; 2008.

Meihy JCSB. Manual de História Oral. 4a ed. Revista e ampliada. São Paulo: Loyola; 2002.

Meihy JCSB, Holanda F. História Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto; 2007.

Gomes R, Souza ER, Minayo MCS, Malaquias JV, Silva CFR. Organização, processamento, análise e interpretação de dados: o desafio da triangulação. In: MINAYO MCS, ASSIS SG, SOUZA ER, organizadores. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

Gomes R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO MCS, organizador. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes; 2007.

Cunha GT. A construção da clínica ampliada na Atenção Básica [dissertação]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas; 2004.

Freire P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 39a ed. São Paulo: Paz e Terra; 1996.

Almeida AB. A graduação em fisioterapia no contexto da formação de profissionais para o sistema de saúde no Brasil: um olhar sobre o curso da Universidade Federal de São Carlos [dissertação]. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos; 2011.

Sousa C. O desenvolvimento curricular do curso de fisioterapia em uma instituição de ensino superior do interior do estado da Bahia – um estudo de caso do tipo etnográfico [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Católica do Salvador; 2011.

Freitas MS. A Atenção Básica como campo de atuação da Fisioterapia no Brasil: as Diretrizes Curriculares resignificando a prática profissional [tese]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2006.

Rezende M, Moreira MR, Amâncio Filho A, Tavares MFL. A equipe multiprofissional da ‘Saúde da Família’: uma reflexão sobre o papel do fisioterapeuta. Cien Saude Colet. 2009;14(Sup1):1403-1410.

Silva DJ, Ros MA. Inserção de profissionais de fisioterapia na equipe de saúde da família e Sistema Único de Saúde: desafios na formação. Cien Saude Colet. 2007;12(6):1673-1681.

Haas CM, Nicida DP. Projeto pedagógico interdisciplinar na e para a formação do fisioterapeuta: dialogando com as diretrizes curriculares. Rev. Teoria e Prática da Educação. 2009;12(1):17-23.

Silva QTA, Caballero RMS. A micropolítica da formação profissional na produção do cuidado: devir-residência. In: Fajardo AP, Rocha CMF, Pasini VL, organizadores. Brasil. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Residências em saúde: fazeres & saberes na formação em saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição. 2010.

Camões LV. Os Lusíadas. 15a ed. São Paulo: Scipione; 2008.

Minayo MCS. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11a ed. São Paulo: Hucitec; 2008.

Rodrigues N. A Vida como ela é. Rio de Janeiro: Agir; 2006.

Campos GWS. Um método para análise e cogestão de coletivos. São Paulo: Hucitec; 2000.

Feuerwerker LCM. Educação dos profissionais de saúde hoje: problemas, desafios, perspectivas e as propostas do Ministério da Saúde. Revista da Abeno. 2003;3(1):24-27.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2025



Direitos autorais 2017 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________