A prevalência do aleitamento materno exclusivo em crianças de 0 a 6 meses internadas em um hospital pediátrico de Curitiba.

Juliana Telles dos Santos

Resumo


Este estudo tem como tema a amamentação, sendo delimitado no que diz respeito ao impacto do internamento hospitalar de crianças de 0 a 6 meses de idade, no processo de amamentação. O processo metodológico deste estudo se deu por meio de uma pesquisa quantitativa, exploratória, descritiva; as participantes da pesquisa foram mães, de filhos de 0-6 meses, que estavam internados em quatro Unidades de internação em um Hospital Pediátrico da cidade de Curitiba, que estavam amamentando antes do internamento e que aceitaram participar da pesquisa. Na avaliação das mães de 50 crianças que estavam internadas, contatou-se a prevalência de amamentação exclusiva antes do internamento de 32 (60%) crianças; durante o internamento, 16 (32%) crianças permaneciam em aleitamento materno exclusivo. As crianças que passaram a utilizar formula, comparadas às crianças que eram amamentadas exclusivamente foram de 28%, demonstrando um indice elevado de desmame durante o internamento, o que causa grande preocupação, visto os benefícios, que o aleitamento materno exclusivo fornece para as crianças. Obstáculos significativos à prática do aleitamento materno dos lactentes internados podem estar relacionados à falta de rotinas e práticas de incentivo ao aleitamento, além das dificuldades de ordem física, como o desconforto das acomodações para as mães. É de extrema necessidade criar protocolos que incentivem a continuidade do aleitamento materno durante a internação hospitalar, assim como o incentivo ao aleitamento materno reduzindo assim o número de internações.

Palavras-chave


Aleitamento Materno; Desmame; Hospitalização

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da saúde (BR). Saúde da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação Complementar. Brasília-DF, Ministério da Saúde; 2009. Disponível em: ˂http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cab.pdf˃.

Ministério da Saúde (BR). II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal. Brasília-DF, Ministério da Saúde; 2009(b). Disponível em: .

Souza EL, Silva LR, Sá ACS, Bastos C.M, Diniz AB, Mendes CMC. Impacto da internação na prática do aleitamento materno em hospital pediátrico de Salvador, Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2008; 24(5):1062-70.

Martins CC, Vieira GO, Vieira TO, Mendes CMC. Fatores de riscos maternos e de assistência ao parto para interrupção precoce do aleitamento materno exclusivo: estudo de coorte. Revista Baiana de Saúde Pública. 2011; 35(1):167-78.

Serra SOA, Scochi CGS. Dificuldades maternas no processo de aleitamento materno de prematuros em uma UTI neonatal. Rev Latino-am Enfermagem.2004; 12(4):597-605.

Resolução n. 466 de 12 de dezembro de 2012 (BR), Dispõe as normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde, Brasília(DF), 12 dez 2012.

Aguiar ALO, Maranhão CM, Spinelli LC, Figueiredo RM, Maia JMC, Gomes RC, Maranhão HS. Avaliação clínica e evolutiva de crianças em programa de atendimento ao uso de fórmulas para alergia à proteína do leite de vaca. Rev Paul Pediatr. 2013; 31(2):152-8.

Sekyia RS, Luz TR. Mudança organizacional: implantação da Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Ciência e Saúde Coletiva. 2010; 15(1):1273-1273.

Júnior MCQ, Figueredo DP, Guimarães MAP, Santos MHO. Prevalência de doenças respiratórias associadas ao desmame precoce em crianças internadas em um hospital da Bahia. Revista Norte Mineira de Enfermagem. 2015; 4(Edição Especial):73-74.

Ministério da saúde (BR). Amamentação e uso de medicamentos e outras substâncias. Brasília-DF, Ministério da Saúde; 2010(2). Disponível em: .

Giuliani NR, Oliveira J, Santos BZ, Bosco VL. O início do desmame precoce: motivos das mães assistidas por serviços de puericultura de Florianópolis/SC para esta prática. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 12(1):53-58, jan./mar., 2012.

Faleiros JJ, Kalil G, Casarin DP, Laque PAJr., Santos IS. Avaliação do impacto de um programa de puericultura na promoção da amamentação exclusiva. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 21(2):482-489, mar-abr, 2005.

Araújo MFM, Fiaco AD, Pimentel LS, Schmitz BAS. Custo e economia da prática do aleitamento materno para a família. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant, Recife, 4 (2): 135-141, abr./jun., 2004.

Rodrigues DP, Conceição CS, Alves VH et al. Qualidade assistencial do banco de leite humano: percepção de usuárias. Rev enferm UFPE. Recife, 7(5):1271-8, maio, 2013.

Monteiro F PM, Silva VM, Lopes MVO. Diagnósticos de enfermagem identificados em crianças com infecção respiratória aguda. Revista Eletrônica de Enfermagem, 8(2);213 - 221, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v11i2.2197



Direitos autorais 2018 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________