Percepção das mães acerca do desenvolvimento do bebê prematuro no ambiente domiciliar

Autores

  • Janna Alves Britto Peixoto Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Sumaya Medeiros Botêlho Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Diana Andrade de Oliveira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Thamires Guedes Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v10i1.1546

Resumo

Objetivou-se descrever o perfil biosociodemográfico de mães de filhos a termo e prematuros, conhecer a percepção das mães com relação às diferenças de filhos a termo e prematuros em domicílio e averiguar se existem dificuldades encontradas pelas mães durante desenvolvimento dos filhos prematuros no domicílio. Pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva, com uso da entrevista semiestruturada para coleta de dados, desenvolvida nas clínicas de fisioterapia, no município de Jequié-BA. Participaram oito mães de filhos prematuros e a termos. Para análise dos dados utilizou-se a análise de Conteúdo de Bardin. Os resultados apontaram para 03 categorias: As diferenças existentes acerca da evolução motora dos dois filhos; Empecilhos domiciliares para o desenvolvimento motor; e Evoluções do desenvolvimento motor com base no tratamento fisioterapêutico dos filhos prematuros. O estudo evidenciou que algumas mães diferenciam seus filhos com base no desenvolvimento motor e cognitivo e que a preparação da casa não é feita para a chegada de um filho prematuro.

Downloads

Publicado

2016-05-20

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS