Visita humanizada em uma unidade de terapia intensiva: um olhar interdisciplinar.
PDF (English)
PDF

Palavras-chave

Terapia Intensiva
Humanizada da Assistência Hospitalar
Relações Profissional-Família

Como Citar

da Silva Carrias, F. M., Macêdo de Sousa, G., Silva Pinheiro, J. D., de Araujo Lustosa, M., Campos Pereira, M. do C., Vasconcelos Guimarães, A. E., Pereira da Cunha, V., & Lustoza Serafim, G. M. (2018). Visita humanizada em uma unidade de terapia intensiva: um olhar interdisciplinar. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 11(2), Pág. 103-112. https://doi.org/10.18569/tempus.v10i4.1966

Resumo

Gisella Maria Lustoza Serafim8 RESUMO A Unidade de Terapia Intensiva é um setor de alta complexidade onde os pacientes críticos passam por períodos de observação continua em um ambiente frio e pouco acolhedor, e por vezes assustador na visão dos pacientes e familiares. Nesse sentido a visita humanizada multidisciplinar busca promover melhor compreensão deste contexto e esclarecer as dúvidas e inseguranças geradas por esse ambiente garantindo assim, uma assistência de melhor qualidade. Buscou-se, portanto, relatar a experiência da visita humanizada multidisciplinar em uma unidade de terapia intensiva. A visita humanizada ocorre, com a participação em conjunto do médico, enfermeiro, psicólogo e fisioterapeuta. A equipe recebe os familiares na sala de espera da UTI, realiza acolhimento, avaliação psicológica e intervenção breve, de apoio e orientação, e preparo psicológico para a visita. Quando necessário a equipe multidisciplinar, acompanha o visitante beira-leito, para proporcionar o acolhimento das dúvidas que surgem ao ver o paciente. Ao final do horário de visitas, realiza-se o boletim médico com a participação interdisciplinar, onde o médico informa a evolução clínica do paciente, discute o caso com a família e a equipe, a fim de proporcionar que o paciente receba a melhor terapêutica. A visita humanizada interdisciplinar é finalizada após o boletim, quando o psicólogo realiza o atendimento com a família, com o objetivo de compreender a percepção do familiar sobre o momento atual e impacto emocional reativo ao momento vivenciado. Encerra-se o processo com a evolução no prontuário do paciente, onde são informados os principais pontos que são identificados no momento da visita.
https://doi.org/10.18569/tempus.v10i4.1966
PDF (English)
PDF

Referências

- BITENCOURT AGV, NEVES FBCS, DANTAS MP, ALBUQUERQUE LC, MELO RMV, ALMEIDA AM, et al. Análise de Estressores para o Paciente em Unidade de Terapia Intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. 2007; 19(1) :53-59

- KITAJIMA. K. Psicologia em Unidade de Terapia Intensiva. Rio de Janeiro: Revinter, 2014.

- NASCIMENTO HM, ALVES JS, MATTOS LAD. Humanização no acolhimento da família dos pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva. São Paulo. Monografia; 2014.

- URIZZI F, MAGALHÃES L, ZAMPA HB, FERREIRA GL, GRION, CG, CARDOSO LTQ. Vivência de Familiares de Pacientes Internados em Unidades de Terapia Intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. 2008. 20(4):370-375.

- VILA VSC. Dificuldades vivenciadas pela equipe multiprofissional na unidade de terapia. Revista Latino-americana de Enfermagem.2005. 13(2):145- 50

- WALLAU RA, GUIMARÃES HP, FALCÃO LFR, LOPES RD, LEAL PHR ET AL.. Qualidade e Humanização do Atendimento em Medicina Intensiva. Qual a Visão dos Familiares? Revista Brasileira Terapia Intensiva. 2006.18(1):45-51

- BECCARIA LM. Visita em Unidades de Terapia Intensiva: concepção dos familiares quanto à humanização do atendimento. Arq. Ciênc. Saúde. 2008. 15(2):65-92.

- OLIVEIRA LMA C, NUNES EDCA. Cuidando da Família na Uti: Desafio de Enfermeiros na Práxis Interpessoal do Acolhimento. Texto Contexto Enfermagem.2014. 23(4): 954-63

- OMS. Icidh-2: Internacional Classification of Functioning and Disability. Genebra: Organização Mundial De Saúde; 1999.

- GUASTELLI R, SILVA ALM, KNOBEL E. O ambiente como fator de humanização em UTI. Atheneu. 2008 São Paulo