Faces e disfarces da formação em Odontologia: revelando e conceituando o ensino da odontologia in vitro

Autores

  • Graciela Soares Fonseca Universidade Federal da Fronteira Sul Faculdade de Saúde Pública da USP
  • Simone Rennó Junqueira Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo
  • Carlos Botazzo Faculdade de Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v12i2.2689

Palavras-chave:

Saúde Bucal. Competência Clínica. Clínicas Odontológicas. Educação Superior. Odontologia.

Resumo

Pretende-se descortinar aspectos relacionados ao ensino clínico em uma escola de odontologia pública do estado de São Paulo. Estudo exploratório, de abordagem qualitativa, cujos participantes foram estudantes de graduação em odontologia da referida instituição. As categorias de análise emergiram em um grupo focal com a participação de 06 estudantes (n=06), conformado de modo heterogêneo para o ano de matrícula e modalidade de curso. O material audiogravado foi transcrito e analisado pela Hermenêutica-Dialética. O centramento dentário permanece em uma posição de destaque no currículo, o que ocasiona a substituição do sujeito pelo elemento dentário. As clínicas tornam-se não resolutivas ao valorizar procedimentos em detrimento do paciente na sua complexidade e integralidade. Emerge a existência do ensino de uma odontologia despida de realidade, elaborada de acordo com a conveniência e necessidades das disciplinas, de modo fragmentado, fechado, sem espaço para a entrada das inúmeras variáveis que acompanham o sujeito em sua complexidade psíquica, biológica e social: o “ensino da odontologia in vitro”. É urgente a necessidade de se reorientar as práticas desenvolvidas na intimidade das clínicas das escolas de odontologia, rompendo seus disfarces e iniciando um processo de formação mais coerente com a realidade do trabalho e as demandas da sociedade.

Biografia do Autor

Graciela Soares Fonseca, Universidade Federal da Fronteira Sul Faculdade de Saúde Pública da USP

Docente do curso de medicina Pós-doutoranda em Saúde Pública

Simone Rennó Junqueira, Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo

Departamento de Odontologia Social

Referências

Canguilhem G. O normal e o patológico. 4ª ed. Rio de Janeiro: Forense

Universitária; 1995.

Botazzo C. et al. Inovação na produção do cuidado em saúde bucal. Possibilidades de uma nova abordagem na clínica odontológica para o Sistema Único de Saúde. Relatório Técnico. São Paulo; 2015.

Botazzo C. Da arte dentária. São Paulo: Hucitec/Fapesp, 2000.

Araujo ME. Palavras e silêncios na educação superior em odontologia. Ciênc. saúde coletiva. 2006 Mar; 11(1):179-82.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação.Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES No 3, de 19 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia. Brasília; 2002. [citado 3 jan 2019]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES032002.pdf

Gadamer GH. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. São Paulo: Vozes editora, 1998. 731p.

Habermans J. Dialética e Hermenêutica. São Paulo: L± 1987.

Minayo MC. Hermenêutica-dialética como caminho do pensamento. In: Minayo MC, Deslandes SF. (orgs). Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2013. p. 83-107.

Botazzo C. Sobre a bucalidade: notas para a pesquisa e contribuição ao debate. Ciência & Saúde Coletiva. 2006 Jan/Mar; 11(1):7-17.

Botazzo C. Diálogos sobre a boca. São Paulo: Editora Hucitec; 2013.

Botazzo C. O conhecimento pelas mãos. Revista da ABENO. 2017; 17(4):2-19.

Barros RS, Botazzo C. Subjetividade e clínica na atenção básica. Narrativas, histórias de vida e realidade social. Ciênc Saúde Coletiva. 2011;16(11):4337-48.

Machado MDFAS, Monteiro EMLM, Queiroz DT, Vieira NFC, Barroso MGT. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS: uma revisão conceitual. Cienc Saúde Coletiva. 2007;12(2):335-42.

Pinheiro R, Ceccim RB. Experienciação, formação, cuidado e conhecimento em saúde: articulando concepções, percepções e sensações para efetivar o ensino da integralidade. In: Pinheiro R, Ceccim RB, Mattos RA, editores. Ensinar Saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: CEPESC: IMS/UFRJ: ABRASCO;2011. p.13-35.

Ceccim RB, Carvalho YM. Ensino da saúde na integralidade: a educação dos profissionais de saúde no SUS. In: Pinheiro R, Ceccim RB, Mattos RA. Ensinar saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: CEPESC-IMS/UERJ/ABRASCO; 2011. p. 69-92.

Costa DAS, Silva RF, Lima VV, Ribeiro ECO. Diretrizes curriculares nacionais das profissões da Saúde 2001-2004: análise à luz das teorias de desenvolvimento curricular. Interface (Botucatu). 2018; 22(67):1183-95.

Santos AM, Assis MMA, Nascimento MAA, Jorge MSB. Vínculo e autonomia na prática de saúde bucal no Programa Saúde da Família. Rev. Saúde Pública. 2008 June; 42(3): 464-470.

Ceccim RB, Merhy EE. Um agir micropolítico e pedagógico intenso: a humanização entre laços e perspectivas. Interface - Comunic., Saúde, Educ. 2009; 13(1): 531-42.

Mills I, Frost J, Cooper C, Moles DR, Kay E. Patient-centred care in general dental practice-a systematic review of the literature. BMC Oral Health. 2014 Jun; 5(5):2-13.

Park SE, Howell TH. Implementation of a patient-centered approach to clinical dental education: a five-year reflection. J Dent Educ. 2015 May; 79(5):523-29.

Walji MF, Karimbux NY, Spielman AI. Person-Centered Care: Opportunities and Challenges for Academic Dental Institutions and Programs. J Dent Educ. 2017 Nov; 81(11):1265-72.

Graff VA, Toassi RFC. Produção do cuidado em saúde com foco na Clínica Ampliada: um debate necessário na formação em Odontologia. Revista da ABENO. 2017;17(4): 63-72.

Fonsêca GS, Pires FS, Junqueira SR, Souza CR, Botazzo C. Redesenhando caminhos na direção da clínica ampliada de saúde bucal. Saude soc. 2018 Out; 27(4):1174-85.

Robles ACC, Grosseman S, Bosco VL. Satisfação com o atendimento odontológico: estudo qualitativo com mães de crianças atendidas na Universidade Federal de Santa Catarina. Cienc Saúde Coletiva. 2008;13(1):43-9.

Pompeu JGF, Carvalho ILM, Pereira JA, Neto RGC, Prado VLG, Silva CHV. Avaliação do nível de satisfação dos usuários atendidos na clínica integrada do curso de odontologia da Faculdade Novafapi em Teresina (PI). Odontol Clín Cient. 2012;11(1):31-36.

Masetto MT. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus; 2003.

Reis SMAS, Gonçalvez LC, Tolentino AB, Machado AC, Gonçalvez AP, Ferreira GT. O professor de odontologia da perspectiva de seus discentes. Revista Encontro de Pesquisa em Educação. 2013; 1(1)169-86.

Carvalho RB, Costa TBC, Gomes MJ, Santos KT, Guerra SMG. Formação docente em odontologia no Brasil: sugestões de mudanças após as diretrizes curriculares nacionais. Revi Bras de Pesq Saúde. 2010;12(4):39-44.

Bortoli FR, Kovaleski DF, Moretti-Pires RO. Medicalização social e bucalidade: a busca pela superação da técnica. Cad. saúde colet. 2019 Mar; 27(1): 67-72.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Fonseca, G. S., Junqueira, S. R., & Botazzo, C. (2021). Faces e disfarces da formação em Odontologia: revelando e conceituando o ensino da odontologia in vitro. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 12(2). https://doi.org/10.18569/tempus.v12i2.2689

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS