Por que Mais Médicos no Brasil? da política à formação.

Maria Fátima de Sousa, Marcos da Silveira Franco, Dais Gonçalves Rocha, Natália Fernandes de Andrade, Elizabeth Alves de Jesus Prado, Ana Valéria Machado Mendonça

Resumo


A partir de uma revisão e análise documental dos marcos legal e histórico do Sistema Único de Saúde, ao longo das últimas três décadas, são sinalizadas as principais diretrizes para a política de formação e educação permanente em saúde tendo como questão de estudo: Por que mais médicos no Brasil? O diagnóstico situacional da necessidade de médicos no Brasil é analisado em uma perspectiva comparada internacional. Para que o Programa Mais Médicos não seja, meramente, mais um estratégia pontual dentre outras iniciativas governamentais do período analisado, ao final, são apresentados alguns “caminhos” visando favorecer a sustentabilidade desta ação e contribuir para expandir e qualificar a atenção básica no Brasil.

Palavras-chave


Sistema Único de Saúde; Atenção Básica à Saúde; Recursos Humanos em Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v9i4.1808



Direitos autorais 2015 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________