Disciplina de Saúde Indígena na UnB: uma conquista do Movimento Estudantil Indígena

Autores

  • Maria da Graça Luderitz Hoefel UNB
  • Denise Osório Severo UNB

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2347

Resumo

O Departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília, ao ofertar a disciplina de Saúde Indígena desponta no cenário da transculturalidade. Essa disciplina constitui uma conquista importante do Movimento Estudantil Indígena e foi criada em 2013, a partir da demanda dos estudantes indígenas desta universidade, em diálogo com o corpo docente e demais pesquisadores e apoiadores. A disciplina adota a perspectiva teórico-metodológica da Educação Popular em Saúde e tem como eixo estruturante a construção da interculturalidade na formação em saúde, bem como nas práticas de atenção e gestão, por meio da realização do diálogo entre os saberes tradicionais indígenas e os saberes ocidentais. Oferecida na graduação encontra-se em processo de ampliação para compor a matriz curricular da Residência Multiprofissional em Saúde.

Referências

André M. Estudo de Caso em Pesquisa e Avaliação Educacional. Brasília: Líber Livro Editora. 2008.

Hoefel MGL; Severo DO; Dias IMV. Ementa da Disciplina de Saúde Indígena - Departamento de Saúde Coletiva, Universidade de Brasília, 2014.

Teixeira VCG; Lana ESC. Interculturalidade e direito indígena à educação – a política pública de formação intercultural de professores indígenas no Brasil. Educ. foco, Juiz de Fora, v. 17, n. 1, p. 119-150, mar. / jun. 2012.

Downloads

Publicado

2017-07-14

Como Citar

Hoefel, M. da G. L., & Severo, D. O. (2017). Disciplina de Saúde Indígena na UnB: uma conquista do Movimento Estudantil Indígena. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 10(4), Pág. 229-234. https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2347

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>